Novas tecnologias aplicadas a Construção Civil - 1ª Palestra - MDC-MGMDC-MG

Novas tecnologias aplicadas a Construção Civil – 1ª Palestra

19/07/2017

A arquiteta Rísia Maria Botrel Vicentini, Graduada em Arquiteta e Urbanismo pela UFMG, com MBA em gerenciamento de projetos pela FGV, Especialista em Planejamento e Tecnologia da Construção pela FEJAL-Maceió, Diretora Comercial e Gerente de Projetos no Escrito de arquitetura Gustavo Penna Arquiteto e Associados e Professora Universitária de graduação, esteve no MDC-MG na quarta-feira, 19 de julho, onde apresentou aos profissionais cadastrados no quadro do programa Trabalho e Renda da entidade a palestra “Novas tecnologias aplicadas à construção civil”. A palestra faz parte da parceria firmada entre MDC-MG, Senacon e NECDC.

Rísia falou sobre novos processos de projeto; novos processos produtivos; novos materiais; novas tecnologias e sobre normas e leis em constante evolução. Ela discorreu sobre o BIM, (Building Information Modeling). “O BIM é muito mais do que uma tecnologia em 3D, sua palavra chave é a “interoperabilidade”. Ou seja, a capacidade que o modelo tem de alinhar uma série de dados produzidos por profissionais de diferentes áreas que usam ferramentas de informática diversas”.

Explicou a diferença entre o sistema convencional de projetos, onde, segundo ela, os projetos de arquitetura são complementados por projetos de estrutura, hidráulica, elétrica, paisagismo e uma série de outros – inclusive os administrativos, que controlam compras, orçamento, cronogramas, pessoal, e assim por diante, e o sistema BIM, onde “vários programas feitos com objetivos diferentes “conversem” entre si e indiquem soluções integradas automaticamente. Por exemplo: Quando um encanamento previsto pelo software usado pelo pessoal da hidráulica está projetado passando “por dentro” de uma viga do desenho de engenharia estrutural, a modelagem aponta automaticamente a incoerência. Ainda mais do que isso: cada desenho pode conter dados que dão indicações sobre materiais, orçamento e cronograma”.

Com todos os novos processos de projeto e produtivo, novas tecnologias e materiais, Rísia destaca a diminuição de desperdício de material e o menor tempo para execução do projeto, que diminuem o orçamento da obra. Além de técnicas de diminuem o impacto ambiental e apresentam maneiras de reutilização de água e novas formas de gerar energia..

A arquiteta lembra que, como todas as novidades e tecnologia à disposição, os profissionais da área devem se qualificar mais para poderem executar suas funções.